Redução do custo do crédito, da dívida pública e estímulo à atividade econômica são esperados com o corte da taxa Selic, analisa Facisc




Com a redução da taxa básica de juros da economia brasileira para 2,00% anunciada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) são esperados alguns efeitos positivos para a economia brasileira e também catarinense. A análise foi feita pela Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), que explica que, com a decisão, há pelo menos três fatores impactados. Para o economista da Federação, Leonardo Alonso Rodrigues, os pontos são imprescindíveis para entender o que a taxa Selic impacta na sociedade como um todo.

Redução do custo do crédito- Como a taxa de juros básica (SELIC) baliza as taxas de juros na economia, ela tem relação direta com o custo do crédito, fundamental na tomada de decisões sobre financiamentos, investimentos, entre outros. Com a redução da taxa SELIC, é esperado um efeito sobre as condições na captação de recursos por parte das empresas no mercado de crédito brasileiro.

Redução do custo da dívida pública – Dado que a trajetória da dívida pública depende de três fatores, a saber: crescimento econômico, resultados primários que medem o fluxo das contas públicas e por fim, os juros. Dado que os dois primeiros fatores estão comprometidos, a medida de redução da SELIC contribuirá para atenuar o atual e o cenário futuro drástico desenhado para as finanças públicas do país.

Estímulo a atividade econômica – Ao alterar a taxa de juros, há um estímulo tanto na questão do crédito como citado anteriormente, bem como estímulo ao consumo, haja visto que os preços relativos na economia tendem a cair. Como as condições econômicas no Brasil e no mundo não estão favoráveis, decisões como essa ajudam a atenuar em certo grau a atividade econômica. “Importante frisar que alterações na taxa básica de juros possuem um lapso temporal para que de fato ocorra seus impactos, sobretudo em momentos de grandes volatilidades como esse, porém a medida vem em boa hora, e é extremamente relevante para a economia brasileira, bem como catarinense”, explica o economista

Este é o nono corte seguido e é o novo recorde histórico do patamar de juros no Brasil.