Núcleo de Sustentabilidade da ACIC busca patrocínio para execução do projeto “Parceiro Anjo”




Despertar o empreendedorismo na juventude como estratégia para inclusão social, acesso ao mercado de trabalho e para fortalecer a cultura empreendedora local. Esse é o objetivo do projeto “Parceiro Anjo” – que utiliza a metodologia do Programa Crescendo e Empreendendo do Sebrae/SC. A intenção é executar o projeto em Chapecó beneficiando 25 jovens na faixa etária de 15 a 19 anos. Para isso, o Núcleo de Sustentabilidade da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) fará a captação de empresas patrocinadoras.

O projeto faz parte de uma prática deferida pela equipe da 14ª edição do Prêmio Innovare 2017, na categoria Justiça e Cidadania. De acordo com o coordenador da ação e educador social, Luis Alberto Schoingele, a metodologia prevê dez encontros, que totalizam 50 horas, nas quais os participantes desenvolverão competências comportamentais para fortalecer a capacidade de transformar o mundo em que vivem, ampliar as possibilidades de realizar seus sonhos, de se preparar para enfrentar riscos e mudanças, além de incrementar a rede de contatos.

A integrante do Núcleo de Sustentabilidade da ACIC e incentivadora do projeto em Chapecó, Eliana Cansian, explica que a ação foi apresentada no ano passado para os integrantes do núcleo temático. “Observamos que a proposta vai ao encontro da missão do nosso núcleo ao se enquadrar no tripé da sustentabilidade: social, ambiental e econômico. Para a capacitação dos jovens buscaremos patrocínios, a quantidade dependerá do valor repassado por cada empresa. Estimamos que com 20 parceiros anjos viabilizamos o projeto no município”, explica ao comentar que está em definição um planejamento que será apresentado e aprovado pela diretoria da entidade.

A previsão é de que o projeto inicie em Chapecó no segundo semestre deste ano. Como a metodologia mescla teoria e prática os encontros serão presenciais, por isso seguirão todos os cuidados para o enfrentamento da covid-19. “Temos boas expectativas, pois trabalharemos com empreendedorismo e a juventude como estratégia de inclusão social. Somos uma Associação Comercial e Industrial, então, ao formarmos futuros empreendedores, posteriormente eles poderão contribuir e fortalecer a entidade”, argumenta.

Para Eliana, a proposta contribuirá para reduzir os índices de evasão escolar, prevenir o consumo de álcool e outras drogas e facilitar o acesso ao mercado de trabalho, além de impactar as famílias dos jovens. “Nessa faixa etária é necessário despertá-los para o mercado de trabalho, para que eles acreditem em seus potenciais. No projeto trabalharão com conhecimento, construção em conjunto, cooperação, criatividade e inovação. São pequenos movimentos que fazem a diferença para a sociedade”, finaliza.