Nossos líderes: entrevista com Felipe Vieira Nascimento




Empresário do ramo de publicidade e presidente da Associação Empresarial de São Joaquim (ACISJO) por duas gestões, Felipe Vieira Nascimento, também conhecido como Pit, é o entrevistado da vez na coluna “Nossos Líderes”. Confira a entrevista e conheça um pouco mais sobre este líder do Sistema associativista catarinense.

FACISC: Como iniciou na vida empresarial? Relate um pouco da sua experiência profissional. Como iniciou no empreendedorismo?

Felipe – Depois de fazer a faculdade em Florianópolis, onde morei por 16 anos, resolvi voltar para minha cidade natal, São Joaquim, onde montei minha empresa de prestação de serviços na área de publicidade, trazendo na bagagem alguns clientes que fiz em Floripa.

FACISC: Há quanto tempo está no associativismo e como começou sua trajetória no associativismo?

Felipe – Estou no movimento há sete anos. Depois de já estar morando em São Joaquim me deparei com um movimento para formar um Núcleo de Jovens Empreendedores que seria um braço da ACIL de Lages.

Acabamos descobrindo que já existia uma associação empresarial em São Joaquim desde 1988, onde em meados de 2001 não teve eleições para uma nova diretoria continuar tocando a associação, ficando então mantida pelo CDL por causa da Junta Comercial.

Foi então que o empresário Vicente Donini, com alguns investimentos na região, fez visitas ao grupo e a proposta de assumirem a associação e deixando de ser dependentes da Associação de Lages. Foi então que montamos uma diretoria e restabelecemos a ACISJO onde por dois mandatos fui vice-presidente, por um presidente e acabei sendo reintegrado no 2º mandato.


FACISC: Por que decidiu participar do associativismo e o que a motiva a seguir no associativismo?

Felipe – Acredito muito no movimento associativista pois sei que é um fator essencial para a mudança para nossa região, tanto nos movimentos de valores econômicos, sociais como na representatividade, pois juntos somos mais fortes.

FACISC: Quais as suas principais participações e realizações em projetos relacionados ao associativismo?

Felipe –  São várias. Colaborei, por exemplo, com a transformação de um evento festivo para um evento empresarial, que hoje se chama Ovelhaço; contribui com a implantação das Soluções Empresariais para os associados, que inclusive já foi case dentro do sistema FACISC; realizei a implantação de um sistema de gestão, participação no conselho do plano diretor; participação no projeto econômico para viabilização da ponte da goiabeira, ligando a Serra Catarinense a Serra Gaúcha; criação da campanha de Natal Luzes de Joaquim, onde arrecadamos mais de 30 mil lâmpadas, e não deixamos apagar o espírito natalino; atuação no Projeto Voz Única local, organizando debates com candidatos a prefeito e vereadores onde demos a oportunidade para os eleitores saberem em quem escolher; Fiscalização de obras públicas; criação de Núcleos setoriais; projeto de patrocínio para viabilização e coordenação de núcleos.

FACISC: O que diria para um empresário que ainda não é ligado a uma associação empresarial?

Felipe – Que está perdendo tempo e oportunidades de deixar sua empresa e seus negócios mais conhecidos. Em uma associação você cria conexões, melhora sua rede de relacionamentos e abre a mente.

FACISC: E Que conselho deixaria para as futuras gerações?

Felipe – Que se envolvam no associativismo, não tenham medo de crescer, façam a diferença, vistam a camisa e perceberão que podemos fazer uma enorme diferença na vida das pessoas, batalhando por causas que acreditamos.

Desta forma, terão a satisfação de ter contribuído com seu tempo para o crescimento e desenvolvimento da sua cidade, estado, país. Nós precisamos desenvolver futuras lideranças, e o associativismo é o melhor caminho para o desenvolvimento econômico.