Lei orçamentária e análise política pautam reunião plenária da Facisc no Noroeste




Recém enviado para tramitação, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) foi um dos temas em destaque na plenária regional da Facisc no Noroeste. Os representantes das Associações Empresariais da região reuniram-se na última quinta (27/10), no município de Quilombo. O tema foi apresentado pelo jornalista e consultor político Upiara Boschi.

 

A proposta, de número 314/2022, entrou em tramitação no dia 4 de outubro e estima e fixa as receitas do Estado para 2023. O projeto tem que ser aprovado pela Assembleia Legislativa antes do início do recesso parlamentar do fim de ano, marcado para começar em 23 de dezembro.

 

Segundo o texto do projeto, o Estado estima uma receita total de R $44,1 bilhões para 2023, um crescimento de 16,5% em relação a este ano. A maior parte será destinada à Educação: R $8,8 bilhões. A Saúde vem na sequência com R $5,6 bilhões previstos. 

Para as demandas do Voz Única, Upiara destacou que há recursos para a obra da BR 163 no trecho São Miguel Dionísio Cerqueira, isso no orçamento do estado e o orçamento federal tem 10 milhões também para esse trecho na divisa entre Santa Catarina e Paraná. “São valores baixos que não vão resolver e muito menos atender o que a região espera, mas que estão no orçamento, e o que está no orçamento abre a oportunidade para brigar para aumentar”, explicou.

Quanto às outras demandas do Voz Única para a região, sobre a questão da energia trifásica, não é considerada uma questão orçamentária mas uma luta política e a ferrovia também não é uma questão orçamentária neste momento pois conta com investimentos privados. “O orçamento é mais uma expectativa das rubricas divulgadas, mas ainda sem os valores que a demandamos”, explicou Upiara.

 

Sobre o cenário político da região, Upiara comentou o fato da região votar diferente do restante do estado. É uma região politicamente interessante.”O Pedro Uczai foi o deputado mais votado em nove das 11 cidades da regional e isso dá uma boa representatividade para a região, assim como o Mauro de Nadal, que surge como um possível nome para a presidência da Alesc, o que é interessante para a região, pois ele tem um perfil muito regional e foi o mais votado em seis cidades do noroeste”, avaliou o jornalista.

 

No encontro também foram discutidos outros assuntos de interesse da regional e do Sistema FACISC, abordando alguns projetos da Facisc como o Programa Empreender, com participação do diretor do Programa Empreender, Allan Kreutz, que pediu o comprometimento das Acis em relação a disponibilização de consultores locais e presenças em capacitações. 

A consultora Geisilaine Morás trouxe informações sobre as Soluções Empresariais e apresentou alguns resultados regionais. 

Foram temas ainda, o Programa de Incentivo à Cultura – SEF/SC, apresentado por Adelita Adiers, e o Faciscred.

 

A reunião também contou com a presença do vice-presidente Elson Otto, do vice-presidente da CACB, Ernesto Reck, e os diretores Sérgio Matte e Marcos Voltolini, que insistiram na importância da presença e na defesa da representatividade da região para a busca de resultados efetivos em relação aos pleitos do Voz Única. Reck ainda pediu apoio ao pleito da cacb e facisc para a evolução da tabela nacional do simples.

 

Encerramos nosso calendário anual de plenárias com temas relevantes, demonstrando a importância da participação das ACIs nas pautas da regional. Fica evidente que precisamos estar atentos e utilizar o Voz Única como uma ferramenta de cobrança para que nossas demandas sejam atendidas. Isto é somar esforços para que realmente aconteçam.

A plenária também contribuiu para avaliar o desempenho de cada ACI no que diz respeito à utilização das soluções empresariais, bem como identificar os pontos a explorarmos e melhorarmos. O momento é de agradecimento aos participantes pelo empenho e dedicação, demonstrando que juntos fazemos a diferença”, destacou o vice-presidente regional Noroeste, Deni Luciano Boito.