Investimentos e melhorias pautam conversa entre Celesc e Acislo




Na noite desta terça-feira (27), no auditório do Poente Hotel, membros da diretoria e do conselho superior da Associação Empresarial e Cultural de São Lourenço do Oeste (Acislo) participaram de uma agenda com o gerente do núcleo Oeste da Celesc, André Rafael Curtarelli. O objetivo do encontro foi discutir e conhecer os investimentos que foram e serão feitos pela empresa na região, pleitear melhorias e esclarecer dúvidas sobre fornecimento e distribuição de energia.

Lembrando que a Celesc presta um serviço público, Curtarelli disse que a conversa serve para estreitar o relacionamento, aproximar a empresa do consumidor e fazer uma prestação de contas do trabalho e dos investimentos feitos. “A gente precisa trocar experiências, saber das necessidades e planejar os investimentos futuros. A aproximação é extremamente necessária e a gente faz questão de participar”. Em resumo, o gerente do núcleo Oeste mostrou quais foram os investimentos entre 2019 e primeiro trimestre de 2021 – mais de R$ 1 bilhão em todo o Estado e R$ 8 milhões na região de São Lourenço do Oeste – e quais são as próximas ações da empresa. Também foi a oportunidade de ouvir as demandas do setor produtivo.

De acordo com o presidente da Acislo, Deni Lucino Boito, a questão energia elétrica, a qual é considera pela entidade como fundamental para o desenvolvimento das empresas e da economia, é uma pauta recorrente dentro da associação. Por isso, o presidente avalia a conversa como estratégica, pois permite que a entidade tenha conhecimento sobre os planos e estratégias da empresa para o município e consiga assessorar o empresariado na hora de definir novos investimentos.

Ao lembrar que a aproximação do setor público com iniciativa privada é uma das bandeiras da Acislo, Boito enxerga que esse diálogo favorece não só o setor empresarial, mas toda a sociedade. Segundo ele, as críticas e observações são importantes, porém defende uma aproximação, onde os dois lados tenham condições de apresentar suas demandas, planejamento e gargalos. “Da mesma forma que já aconteceu com outros órgãos, construímos um canal de comunicação”. Boito e Curtarelli concordam que novos encontros devem acontecer e que isso é saudável e contribui com o desenvolvimento.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Acislo