Infraestrutura rodoviária e ferroviária são destaque em plenária das regionais Sul e Extremo Sul




Representantes das Associações empresariais do Sul e Extremo Sul reuniram-se nesta quarta-feira (10/11) em Imbituba para a reunião plenária regional.

Recepcionados pelo presidente da Associação Empresarial de Imbituba (ACIM), Adilson Silvestre, os representantes discutiram entre outros assuntos sobre a pavimentação da BR 285 no trecho da Serra da Rocinha e as ligações ferroviárias.

Os vice-presidentes da regional Sul, Pedro Kuzniecow e da regional Extremo Sul, Ubirajara Francisco Machado Pickler, ressaltaram a importância da união entre as regiões para a defesa de alguns pleitos. “Tudo o que acontece no Sul interfere no Extremo Sul e vice-versa. Por isso é um orgulho estarmos no associativismo, pois o empresário é um elemento fundamental para o desenvolvimento social e econômico”, destacou Ubirajara.

O encontro contou com a participação do presidente da Facisc, Sérgio Rodrigues Alves, que ressaltou algumas das ações que vêm sendo realizadas pela Federação, destacando o aumento no número de soluções e projetos voltados para as ACIs. “Para 2022 traremos muitos desafios, com a volta das missões e o Faciscred, um novo formato do Programa Empreender, e também o DEL. Além disso, estamos com um grande desafio para o próximo ano de fazer a nova versão do Voz Única.  Temos buscado ter um envolvimento em todo o estado e queremos trazer as demandas de todos no documento”, destacou.

A reunião também contou com a presença da diretora de integração da Facisc, Janelise Royer dos Santos, que falou sobre a plataforma de integração que tem trabalhado para unir todas as regionais e também o diretor de infraestrutura, Antônio Carlos Guimarães Neto, que falou sobre plataforma de representatividade que tem trabalhado para promover a atuação dos diretores fortalecendo a representação setorial.

Realizada no formato híbrido, a reunião contou com a participação do diretor de Relações Institucionais da Frenlogi, a Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura, o deputado Edinho Bez, que relatou o trabalho que vem sendo realizado pelo órgão e a previsão para a conclusão das obras. 

O deputado também falou sobre as obras na Serra da Rocinha que liga os Campos de Cima da Serra Gaúcho, com o Litoral Sul Catarinense ligando o município de São José dos Ausentes e o estado do Rio Grande do Sul (na parte de cima) com Timbé do Sul e Santa Catarina, na parte de baixo. “Já temos os recursos aprovados e a previsão é que estas obras aconteçam até o final do primeiro semestre de 2022. Esta obra é muito importante, pois será um grande diferencial para facilitar o transporte, trazer novos investidores, aumentará a produção, o desenvolvimento turístico e todo o crescimento da região”, destacou.

Ferrovias

Benony Schmitz Filho, diretor presidente da Ferrovia Tereza Cristina, fez um breve contexto histórico e apresentou o estudo feito para o novo sistema ferroviário de SC que será apresentado ao governo do estado. “Ferrovia não é só um par de trilhos. É um conjunto de trilhos e uma operação econômica viável. Por isso temos como motivação para a realização do estudo o interesse no desenvolvimento da atividade ferroviária de SC contemplando todas as regiões; a percepção de que os estudos anteriores poderiam ser ajustados às necessidades atuais e a relação cooperativa entre os representantes do governo do estado e entidades de classe”, explicou.

O encontro encerrou com a apresentação do gerente de Estudos e Projetos Ferroviários do Governo do Estado, o professor e pesquisador da UFC Sílvio dos Santos, que relatou que a secretaria de infraestrutura do estado já tem olhado para a questão da ampliação das ferrovias e que mesmo sendo uma obra de investimentos  federais, também terá investimentos do Estado. 

Segundo o gerente, nos próximos dias devem sair informações oficiais da secretaria sobre quais serão os primeiros lotes contemplados com o processo das ferrovias e também os recursos que serão disponibilizados para o investimento.