Entidades empresariais do Vale do Itajaí emitem nota de repúdio contra direção nacional do DNIT




Doze associações empresariais do Vale do Itajaí e mais uma dezena de entidades do Alto Vale divulgaram uma nota de repúdio, nesta quinta-feira (12), contra a direção-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).  Os empresários da região subiram o tom depois que uma comitiva do órgão vinda de Brasília visitou os quatro lotes da duplicação da BR-470, mas deu meia-volta sem trazer novidades a pontos críticos da rodovia em direção à Serra.​

​O texto diz que “nem os dirigentes do DNIT de Brasília se arriscam a trafegar pela BR-470” no trecho do Alto Vale. E questiona o baixo investimento do governo federal na duplicação em 2022. Só R$ 8,5 milhões estão empenhados, e para desapropriações.

Em Pouso Redondo, a BR-470 teve de ser interditada porque rachaduras apareceram numa ponte. O Exército precisou instalar uma travessia provisória enquanto a situação emergencial não se resolve. Entre Apiúna e Ibirama, outra ponte em estado crítico, segundo avaliação do próprio DNIT, aguarda reforma há mais de cinco anos.

Está na comitiva do DNIT que visita Santa Catarina o diretor-geral, Antônio Leite dos Santos Filho. Ele pousou em Navegantes na quarta-feira (11) e subiu a BR-470 até Indaial. Dali, deu meia-volta e seguiu para Jaraguá do Sul. Nesta quinta, ele deve percorrer a BR-280, que também está sendo duplicada.

Fonte: NSC Total

Foto: DNIT divulgação

Confira a nota na íntegra:

Nem os dirigentes do DNIT de Brasília se arriscam a trafegar pela BR-470/SC além de Indaial; diferente do que fazem, diariamente, milhares de catarinenses. Em visita oficial à rodovia nesta quarta-feira, 11 de maio, a comitiva se limitou a percorrer o trecho em duplicação.

Até agora, apenas R$ 8,5 milhões do orçamento federal destinado à BR-470 em 2022 foram empenhados – exclusivamente para desapropriações. O valor ainda não foi gasto.

É lamentável, mas as principais autoridades do DNIT retornaram para seus gabinetes sem experimentar os fluxos severamente congestionados da BR-470/SC no Alto Vale, sem enxergar os buracos na pista recém-recapeada em Apiúna, sem visualizar o estado crítico da Ponte sobre o Rio Itajaí-Açu II e sem se solidarizar com os usuários diante da calamidade causada pela interdição da Ponte sobre o Rio das Pombas.

Para o combate no front interior da BR-470/SC, restaram o povo e os valorosos soldados da autarquia. Diante da completa falta de empatia e de respeito com os catarinenses, o nosso mais sincero repúdio à direção do DNIT.

ORGANIZAÇÕES SIGNATÁRIAS
AMPE Alto Vale – Edson Fronza
Associação Empresarial de Blumenau – Renato Medeiros
Associação Empresarial de Gaspar – Edemar Ênio Wieser
Associação Empresarial de Ibirama – Anestine Amanda Jaeger
Associação Empresarial de Indaial – Renato Tomio
Associação Empresarial de Itajaí – Gabriela Kelm Nascimento
Associação Empresarial de Navegantes – Verner Dietterle
Associação Empresarial de Pomerode – Fredi Zmazek Goede
Associação Empresarial de Pouso Redondo – Carlos Zanella
Associação Empresarial de Presidente Getúlio – Thiago Cipriani
Associação Empresarial de Rio do Sul – Jean Sandro Pedroso
Associação Empresarial de Salete – Rafael Bonsenhor
Associação Empresarial do Médio Vale – Timbó – Osmar Antônio Tomelin
CDL de Rio do Sul – Francisco José Cardoso
JCI de Rio do Sul – Natália Caroline Feifarek
Observatório Social de Rio do Sul – Riciéri Ramlov
Prefeitura de Rio do Sul – José Eduardo Rothbarth Thomé
Rotary Club de Rio do Sul – Julio Cesar Melim
SINDICONT Alto Vale – Marco Schulle
SINFIATEC Rio do Sul – Hemerson May
SOMAR Alto Vale – Daniel Brandl
União das Associações de Bairros de Rio do Sul – Silvestre Patrício
VP FACISC Alto Vale – Maicon Luiz
VP FACISC Vale do Itajaí – Rinaldo Araújo