Em Jaraguá do Sul, líderes destacam importância da governança para a longevidade de empresas




Entender que governança é uma jornada que requer busca constante de conhecimento, disciplina como atitude e respeito à hierarquia, é um dos princípios para que empresas familiares ou não se mantenham longevas e gerem resultados como negócio.

A mensagem foi deixada por três lideranças no assunto, no Encontro Empresarial realizado pela ACIJS na segunda-feira (27), marcando os 84 anos de fundação da entidade. Participaram do evento os ex-presidentes Décio da Silva, Jaime Richter e Monika Hufenüssler Conrads. Para uma plateia de mais de 450 pessoas, eles abordaram o tema “Desmitificando a Governança – Como construir empresas longevas e sustentáveis”, mediado pela presidente Ana Clara Franzner Chiodini.

Presidente no período 2006-2008, Jaime Richter falou sobre o reconhecimento que a governança vem alcançando como ferramenta para o crescimento sustentável de empresas em todos os segmentos econômicos.

“Há 20 anos, quando se falava em governança corporativa a ideia era de que apenas grandes companhias deveriam seguir um modelo de gestão orientado por conselhos consultivos. Graças ao trabalho de entidades como a ACIJS, com palestras e eventos que trouxeram o tema para seus associados, essa percepção mudou. Na verdade, a governança começa com a própria origem de qualquer empreendimento”, assinalou o empresário, que atua como conselheiro de Administração de diversas empresas. Jaime ressalta que as boas práticas consolidam uma gestão, lembrando a importância de empresários que estão se iniciando em qualquer negócio, ou mesmo nas empresas familiares que caminham para a sucessão, se prepararem para a governança. “Em algumas empresas, isso acontece naturalmente, mas há outras em que se torna necessário buscar profissionais capacitados no mercado”, opina.

Monika Hufenüssler Conrads, que presidiu a ACIJS no período 2012-2014, traçou um panorama da governança em empresas de origem familiar em relação às companhias não familiares. “A boa governança em um ambiente familiar é tão importante quanto nas empresas corporativas”, destacou a empresária, que faz parte da terceira geração da Duas Rodas Industrial e se confessa “uma apaixonada pelo tema”. Na sua fala, Monika indicou pontos importantes que devem ser observados para o sucesso da governança. Disse que para ter um ter alto padrão e ser duradoura qualquer empresa precisa de proprietários leais e capazes, que tenham uma base familiar unida e contributiva. “Sem essa base de sustentação, nenhuma empresa consegue seguir em frente. É necessário que a missão seja clara e compartilhada, que a família seja capaz de administrar os negócios como empresários de fato”, ponderou. Reforça que “não existe negócio sem risco, para crescer é preciso ousar e na governança saber decidir, entender que a empresa é maior do que a família”.

Ex-presidente da ACIJS no período 1994-1996, Décio da Silva trouxe ao evento a experiência da WEG com o planejamento sucessório e a governança. Segundo dele, foram os princípios de governança adotados já nos primeiros anos da empresa que permitiram à companhia chegar ao patamar atual como uma das mais competitivas em seu mercado de atuação em nível global. Dois aspectos foram apontados pelo empresário como decisões que influenciariam o crescimento e a sustentabilidade do negócio fundado em 1961 por Werner Ricardo Voigt, Eggon João da Silva e Geraldo Werninghaus (que formam o WEG): a abertura de capital e a busca da internacionalização, com representações comerciais e mais tarde produção industrial no exterior. Segundo ele, para qualquer empresa é fundamental ter como modelo mental dos gestores e de seus colaboradores a busca de conhecimento, conhecer os mercados e os modelos de negócios onde a empresa atua. “É muito importante buscar a governança e contar com um conselho, mas que seja capaz de tomar as grandes decisões. Uma empresa precisa ter pessoas com atitudes, a diretoria deve ser respeitada, ao conselho cabe assumir as suas decisões, e que as assembleias de acionistas cumpram seu papel importante nas tomadas de decisões”, resumiu.

Geração de valor aos associados

A presidente da ACIJS, Ana Clara Franzner Chiodini, destacou a importância do painel com a presença de três lideranças importantes na trajetória de 84 anos da entidade, fundada em 22 de junho de 1938. Segundo ela, o intuito do evento foi gerar valor aos participantes do Encontro Empresarial e oferecer a empreendedores da região uma perspectiva de “um olhar mais atento para uma questão tão importante na sustentabilidade e perenidade das empresas e negócios, que é a governança”.

Ela fez um agradecimento aos ex-presidentes da entidade, muitos deles presentes no evento, pela atuação destacada e pela contribuição ao longo da história de mais de oito décadas da ACIJS. “Cada presidente, com sua contribuição, deixou um legado muito importante para a entidade juntamente com as suas diretorias, que passaram pela nossa história e doaram seu tempo e dedicação para que o coletivo se fortalecesse na busca contínua de um propósito maior”, ressaltou.