Em Chapecó, empreendedores relatam desafios e conquistas no Boomerangue de Ideias




Motivação para empreender, desafios passados e atuais, como foi o início dos negócios, como é trabalhar em empresa familiar e diferenciais das organizações. Esses foram alguns dos aspectos abordados pelo CEO da Amo Sistemas, Marcio Muxfeldt, e pela gestora de capital humano da Difrisul, Luiza Utzig Modesti, durante o evento Boomerangue de Ideias. A iniciativa do Núcleo de Jovens Empresários (NJE) da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) ocorreu nesta semana.

Muxfeldt se formou na primeira turma de Ciências da Computação pela Unochapecó e, a partir de então, começou sua trajetória empreendedora na área de tecnologia. Iniciou suas atividades empreendedoras em 1999 com a abertura da empresa GamaTec, da qual saiu da sociedade posteriormente. A Amo foi fundada em 2017. O empreendedor foi convidado como sócio, mas em 2020 também houve separação na sociedade. Mulxfeldt é sócio fundador da Hextor Sistemas, desenvolvedora do software Raffinato (automatização para o setor gastronômico).

Luiza é administradora de empresas, se formou na Unochapecó e atua de forma empresarial desde os 17 anos. Começou sua trajetória na Difrisul, empresa da família que completa 43 anos em 2022. Em 2017 fundou a Três Desenvolvimento Humano, empresa que atua na área de facilitação e desenvolvimento de lideranças. A família também empreende na área de eventos, com a Fasul Eventos. Luiza sempre atuou com voluntariado, o que agregou muito na sua carreira.

Os empresários relataram suas trajetórias e falaram de diversos aspectos que contribuíram para os negócios prosperarem. Na Amo o diferencial é estar próximo dos seus públicos, seja colaboradores, restaurantes, motoboys ou usuários, ter foco nas ações e amor em executar. Na Difrisul, Luiza destacou a solidez da empresa, que se mantém no mercado mesmo diante de diversos desafios.

Para ela, o ambiente empreendedor que teve na família foi a base para as escolhas profissionais. Disse que os pais foram sábios na maneira de inserir os filhos na empresa. “Tivemos também um pouco de sorte, pois somos em três irmãos e cada um atua em uma área diferente, meu irmão no comercial, minha irmã com finanças e eu com o setor humano. Então, nunca concorremos entre nós”, relatou, ao acrescentar que um desafio na empresa familiar é conciliar o que é negócio e o que é família. “É preciso muito diálogo e saber separar o que é empresa familiar do que é família empresária. É necessário olhar sempre o conjunto primeiro e depois as vontades individuais”. Atualmente, a Difrisul passa por uma mudança operacional, com abertura da empresa para novos sócios. “A família vai sair da gestão”, informou Luiza.

Muxfeldt relatou que a motivação inicial para empreender foi financeira, mas com o tempo percebeu que isso deve ser consequência e não prioridade. “Quando entrei na Amo, comecei numa empresa onde tudo que imaginava sobre empreendedorismo não funcionava mais. O dinheiro na frente não traz resultados, é necessário pensar em propósito, em ação. Fica mais fácil e o financeiro passa a ser uma consequência”, salientou, ao destacar que também é preciso ser audacioso e correr riscos.

Tanto a Amo quanto a Difrisul não pararam durante a pandemia. A Amo cresceu 350% em 2020 e 100% em 2021. “Foi um período bom para a Amo, mas ruim na parte operacional. Porém, foi uma virada de chave para a empresa”, frisou Muxfeldt. A Difrisul diminuiu a entrega em restaurantes, mas esteve na linha de frente no abastecimento de alimentos para supermercados. “Foi necessário fazer um trabalho emocional com os colaboradores e estar junto. Não faria sentido nós, da gestão, ficarmos em casa enquanto as outras pessoas tinham que ir diariamente para a empresa. Estar junto é muito importante”, salientou Luiza.

Para os jovens empresários que participaram do evento, os empreendedores destacaram a importância de saber ouvir e respeitar o estilo do outro e a não trabalhar sozinho, ter sócios, mentores ou amigos para conversar e trocar informações.

BOOMERANGUE DE IDEIAS

O Boomerangue de Ideias tem como objetivo oportunizar a troca de experiências entre nucleados e profissionais de destaque no meio empresarial. Por meio de perguntas pré-definidas pelos nucleados aos empresários convidados, o evento visa promover a socialização de trajetórias de vida pessoal e profissional para inspirar e levar conhecimento aos jovens empreendedores.

O coordenador do NJE, Vicente Machado da Rocha, realçou que um dos propósitos do Núcleo é desenvolver lideranças e negócios por meio do associativismo. “Esse evento mostra a força do nosso Núcleo e da economia de Chapecó. Somos a quarta economia do Estado e nada mais justo do que termos um dos núcleos mais fortes de Santa Catarina. Dos 80 grupos empresariais jovens que existem no Estado, estamos entre os dez maiores e vamos continuar crescendo, trazendo mais pessoas para fortalecer o associativismo”.