Em agenda na Capital, Acislo apresenta pleitos e defende interesses do empresariado




Na capital, o presidente e o gerente executivo da Associação Empresarial e Cultural de São Lourenço do Oeste (Acislo), Deni Luciano Boito e Gilberto Wohlfarth Junior, respectivamente, participaram de uma audiência, no dia 1˚, com a presidência e diretoria técnica da Celesc. Oportunamente, protocolaram ofício com pleitos da classe empresarial e da sociedade. Entre eles, destaque para a troca de cabos nu por protegidos nas redes de acesso as áreas industriais do município, troca de chaves/religadores e investimento numa linha de redundância.

Boito avalia a agenda como positiva. “Na conversa conseguimos justificar as nossas necessidades. Saímos com a garantia de que uma equipe da Celesc virá a São Lourenço do Oeste para fazer uma avaliação”, disse adiantando que a presidência e diretoria técnica autorizaram o levantamento para troca dos cabos nu por protegidos. “Isso aumenta a qualidade e diminui as pequenas quedas”, observa o presidente.

Sobre a linha de redundância, que hoje é o principal pleito da associação, a informação é de que os investimentos que estão sendo feitos na subestação em Abelardo Luz viabilizará atendimentos emergenciais a São Lourenço do Oeste.

Outras visitas

De forma estratégica, Boito e Wohlfarth Junior também estiveram na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc). O objetivo foi buscar informações sobre o andamento do projeto da SC-305 – trecho entre São Lourenço do Oeste e Campo Erê – e o investimento para a instalação de uma linha de gás natural para a região. Boito conta que os dois projetos estão andando e são importantes, pois garantem competitividade ao empresariado da região.

A agenda na capital foi finalizada na Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) com o superintendente e presidente da entidade. Além de estreitar o relacionamento, a ideia foi pedir o apoio e auxílio da entidade no acompanhamento dos pleitos. “Essa relação é importante, pois, havendo necessidade, a federação pode intermediar reuniões e agendas com os respectivos responsáveis”, resume.

Fonte: Assessoria de Comunicação Acislo