AEMFLO realiza reunião com Arteris sobre andamento do Contorno Viário




Entidades que denunciaram a paralização das obras do Contorno Viário, a AEMFLO e CDL-SJ, realizam nesta terça-feira, 10/5, uma reunião com a Arteris para saber o que a saída de empreiteiras pode impactar no andamento das obras. Quem falará aos empresários é o diretor de Operações Concessionárias do Sul da Arteris, Antônio Cesar Ribas Sass. As entidades temem que a dispensa de funcionários acarrete em ainda mais atraso na entrega da principal obra da região. Além dos 10 anos que já estão atrasadas.

As entidades identificaram gargalos e redução do ritmo das obras do Contorno Viário em março e vêm cobrando uma posição da concessionária. Também culpam a burocracia e a falta de compromisso da Autopista Litoral Sul com as empreiteiras contratadas, que vêm ocasionado uma série de problemas como: a desistência das empreiteiras na continuidade das obras, desmobilização de trabalhadores e redução considerável do ritmo das obras do Contorno Viário. demora de mais de 10 anos.

As obras de construção inicialmente estavam previstas para serem entregues em 2012. Em 2013, foi feito novo trajeto do contorno e foi necessário recomeçar o trabalho. A previsão é que devem ser concluídas até o fim de 2023. Na construção inicial não havia nenhum túnel previsto, porém com o novo caminho foi preciso projetar quatro túneis. Com isso o custou da obra aumentou em torno de R$ 1 bilhão. O novo contrato estabelece prazo final até três anos.