Acislo confirma apoio ao Corpo de Bombeiros para a construção do novo batalhão no município




Numa reunião com o presidente da Associação Empresarial de São Lourenço do Oeste (Acislo), Deni Luciano Boito, o comandante do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) de São Lourenço do Oeste, capitão Glaycon Reitz, apresentou em detalhes o projeto para o novo batalhão do CBM no município.

Ao lembrar que a associação sempre esteve ao lado do órgão e que, inclusive, no passado encabeçou a companha para a instalação do CBM na cidade, Reitz aproveitou a oportunidade para pleitear o apoio da entidade na defesa do novo projeto junto às autoridades políticas do Estado.  Segundo o comandante, já há um valor garantindo para o investimento, mas é preciso viabilizar o restante para que a execução do projeto seja deflagrada.

Pelo projeto, o novo espaço terá uma área construída de 1,3 mil metros quadrados e deve abrigar, por exemplo, local específico para assepsia das viaturas, acolher a estrutura do Samu e o administrativo dos bombeiros. O objetivo é construir uma estrutura condizente com as demandas de São Lourenço do Oeste região e permitir que o efetivo seja aumentado.

Defendendo que a presença e os serviços do órgão são essenciais para o município e região, Boito afirmou que a Acislo irá se juntar ao projeto e contribuir para que os recursos sejam viabilizados. “O pedido é para que a Acislo apoie na divulgação e na busca de recursos junto às esferas de governo. Por entender a importância do órgão e o histórico relacionamento da associação com ele, assumimos esse compromisso e iremos, enquanto entidade representativa da classe empresarial, somar forças”.

Segundo o presidente da Acislo, trata-se de um pleito legítimo. Fora isso, ele chama atenção, com base nos dados e números apresentados pelo capitão, para a importância que órgão tem diante da sociedade civil e o empresariado. “Os número de atendimentos foram compartilhados e é impressionante o trabalho”. Boito lembra que pesa, também, o fato de que São Lourenço do Oeste ter se tornado um polo para as cidades vizinhas. “Isso vem para fortalecer essa referência da cidade como polo”, finaliza lembrando que a representatividade institucional da associação está à disposição dos interesses previstos no projeto.