Abertura oficial da Expolages reúne presidentes da ACIL e Sindicato Rural em um bate papo descontraído




No centenário da Expolages, uma das maiores e mais completas feiras de Santa Catarina, uma edição completamente diferente. Sem público e com a realização apenas de leilões virtuais, tudo para evitar a propagação da COVID-19 e garantir a segurança e preservar a saúde de todos.

A abertura oficial realizada virtualmente na noite desta terça feira, 13 de outubro, contou com a participação do presidente do Sindicato Rural de Lages, Marcio Pamplona, do presidente da Associação Empresarial de Lages, Carlos Eduardo de Liz, da diretora da Camargo Agronegócios, Luiza Camargo, e mediação do jornalista Paulo Chagas.

Para o presidente do Sindicato Rural, chegar aos 100 anos é uma data muito especial, “mas com certeza a mais difícil foi a primeira. Sem muitos recursos e conhecimento de como fazer. Arriscaram e deu certo”. Destacou ainda a difícil decisão de não realizar a feira da maneira tradicional, mas foi a decisão acertada.

O presidente da ACIL reforçou a decisão de não realizar a Expolages presencialmente, pois a saúde deve estar em primeiro lugar. Segundo ele, a pandemia nos trouxe um momento de reflexão, mas economicamente está melhor do que se esperava. “As indústrias, de um modo geral, estão todas investindo, em especial o agronegócio. Todos os setores estão se desenvolvendo, mas temos que salvaguardar alguns que sofrerão muito, como por exemplo o setor de eventos.

Para 2021, tanto a ACIL quanto o Sindicato Rural planejam realizar uma feira maior e mais bonita. “2021 será a Expolages da vingança, vai ser muito maior que seria esta do centenário”, declarou Pamplona. “Vamos fazer uma exposição para arrebentar”, completou Caco.