Núcleo de Empresários de Botuverá cobra agilidade na extensão de rede de energia junto à Celesc




Integrantes do Núcleo de Empresários de Botuverá ligado à Associação Empresarial de Brusque reuniram-se na manhã desta terça-feira, 27 de julho, com o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, em Florianópolis, a fim de reivindicar melhorias no que diz respeito à demanda de energia elétrica do setor industrial do município. A audiência foi articulada pelo deputado estadual Jerry Comper (MDB), que participou do encontro junto à comitiva de Botuverá, formada pelos empresários Junior Venzon, Edson Rubem Müller, José Werner e Eduardo Barni, e ainda pelo prefeito Alcir Merízio e pelo presidente da Câmara Municipal, Alesc Sandro Venzon.

Na oportunidade, os integrantes do Núcleo entregaram um ofício ao presidente, solicitando a conclusão da linha de expansão de rede da Celesc do bairro Águas Negras, até as mineradoras Rio do Ouro e Calwer. De acordo com o coordenador do Núcleo, Junior Venzon, esta expansão já faz parte de um projeto de investimentos da Celesc no município, mas teve as obras paralisadas, o que deixa as indústrias apreensivas. “Neste ano as empresas fizeram um investimento alto em máquinas e equipamentos, mas isso nada adianta se não tivermos energia elétrica. Estamos nessa luta há um bom tempo, com promessas da Celesc em projetos de expansão, o que realmente teve início. A ampliação de rede já passou por Águas Negras, Centro da cidade, mas ainda falta chegar nas mineradoras. Nosso pleito é por uma data de finalização dessa expansão. Ficamos sabendo hoje que por motivo de falta de matéria prima e aumento no custo de materiais, esta obra está parada, mas eles pretendem concluir. Não sabemos se neste ano ainda, mas queremos crer que até meados de 2022 isto esteja finalizado”, projeta.

O vice-coordenador do Núcleo, Edson Rubem Müller, ressalta que é necessário a garantia de energia de qualidade às indústrias. “As empresas de Botuverá vêm investindo forte em maquinário de última geração e temos que ter energia de qualidade. Para isso precisamos ter o respaldo da Celesc. Trouxemos nossa reivindicação ao presidente Poleto e vamos aguardar para que no prazo mais rápido possível, Botuverá tenha esta expansão de rede concluída”, reforça.

A demanda por energia elétrica em Botuverá é um pleito recorrente do setor industrial. Atualmente as empresas são atendidas por redes de 23kV, porém, com o crescimento das indústrias e investimentos em novos equipamentos de produção, são necessários estudos para instalação de redes de 138 kV. O assunto foi mencionado durante a audiência com Poleto, que foi bastante solícito aos pleitos trazidos pelo Núcleo. Ele explicou sobre os investimentos realizados pela Celesc, sobre a importância do próprio município fazer estudos de crescimento industrial e comunicar à Celesc, a fim de que se possa prever a viabilidade de melhorias futuras com relação à energia elétrica. Também esteve presente na audiência o diretor de Distribuição da Celesc, Sandro Ricardo Levandoski, que esclareceu dúvidas dos empresários.

Na avaliação do coordenador e do vice-coordenador do Núcleo, a audiência foi extremamente positiva. “Conversamos com o presidente sobre o aumento da demanda de energia, além daquilo que já foi instalado. E ele foi muito claro na explicação, que de acordo com a necessidade de cada empresa, deverá ser feita uma avaliação e projeto para melhorias, com contrapartida dos empreendimentos. Foi um momento importante para sabermos quais os caminhos podemos seguir e saímos daqui confiantes”, avalia Junior.

“Nossa preocupação é fundamentalmente a indústria têxtil e de mineração, então a energia elétrica de qualidade é essencial para nós, esta é a razão de estarmos mais uma vez conversando com o presidente da Celesc. Vamos aguardar para que no mais rápido possível Botuverá tenha esta expansão de rede concluída. No que tange às propostas de aumento de demandas, fomos ouvidos, tiramos nossas dúvidas e saímos com a certeza de que seremos atendidos, lógico que cada um obedecendo seus projetos e legislação”, analisa Müller.

O prefeito de Botuverá, Alcir Merízio, também classificou o encontro como produtivo. “Em 2020 nós estivemos aqui pleiteando um aumento de capacidade de energia de 30%, diante do crescimento das indústrias de Botuverá. Hoje estamos novamente aqui, cobrando a finalização da última etapa de expansão de rede, que a empresa fez na cidade. São mais de R$ 20 milhões que a Celesc tem investido em melhorias no município e saímos daqui confiantes de que teremos nossos pleitos atendidos, muito embora a pandemia tenha atrasado um pouco os projetos, justamente na última etapa. Mas continuaremos pleiteando, pois nossas indústrias necessitam dessas melhorias”, complementa.