Educação pauta reunião da diretoria da Acic




A educação foi a pauta da reunião da diretoria da Associação Empresarial de Criciúma (Acic) durante essa semana. A educação tem sido uma forte bandeira da entidade, que nos últimos anos lançou diversos projetos voltados a essa área. Entre os eixos de atuação da gestão atual está justamente a educação, com diversos movimentos para melhorar a qualidade do ensino na cidade.

O reitor do Centro Universitário UniSatc, Carlos Antônio Ferreira, também diretor da Acic, apresentou aos empresários um panorama com dados da educação em âmbito federal, estadual e municipal.

Na educação básica no país, conforme dados do Censo Escolar 2022, são 178.346 instituições, sendo 137.335 públicas e 41.011 privadas, com mais de 47,38 milhões de alunos matriculados. Desse total, 9.028.764 estão na educação infantil, 26.452.228 estão no Ensino Fundamental e 7.866.695 no Ensino Médio.

Com relação ao Ensino Superior, são 2.574 instituições, sendo 313 instituições públicas e 2.261 privadas, com quase 9 milhões de estudantes matriculados. Já no Ensino Profissionalizante, são 8.650 instituições, com 2.152.506 alunos matriculados.

As regiões Sul e Sudeste do país são as que mais possuem estudantes matriculados no Ensino Superior, em comparação ao Ensino Básico. Na distribuição, a grande maioria dos alunos está na etapa fundamental (49,9%), seguida pela graduação (16,34%), infantil (15,66%), médio (14,62%), e técnico (3,48%).

Ainda no Ensino Superior, as áreas de ‘Negócios’, seguidas de ‘Educação’, ‘Saúde’ e ‘Engenharias’ são as mais procuradas pelos estudantes no país e em Santa Catarina.

 

Educação profissional

O reitor do UniSatc também apresentou a evolução da educação profissional no Brasil nos últimos quatro anos. Em 2018, eram 1.903.230 alunos. O ano de 2022 fechou com 2.152.506. “De 2021 para 2022 tivemos um crescimento no número de alunos, que saltou de 1.892.458 para 2.152.506, tanto na rede pública como na privada”, pontua Ferreira.

Entre os cursos mais procurados, estão aqueles relacionados aos temas de ‘Gestão e Negócios’, com 362.868 estudantes matriculados na Rede Pública e 173.405 na Rede Privada. A área de Ambiente e Saúde absorve 427.203 estudantes (Rede Privada) e 116.332 (Rede Pública). Os cursos relacionados à Informação e Comunicação também se destacam, com 219.926 (Rede Pública) e 44.831 (Rede Privada). Controle e Processos Industriais atraem 126.44 (Rede Privada) e 121.395 (Rede Pública).

 

Ensino Profissionalizante

Com relação ao Ensino Profissionalizante, Santa Catarina possui 272 instituições, totalizando 68.935 estudantes. Em Criciúma, são 11 instituições, sendo quatro públicas e sete privadas, num montante de 4.242, conforme dados do Censo Escolar 2022.

“Esses são alguns números relacionados à Educação. Mas, frisamos o baixo número de estudantes no Ensino Técnico, são apenas 3,48% no âmbito nacional, como apontado”, reforça o reitor do UniSatc.

“O incentivo para a formação técnica e profissional é uma das pautas e pleitos defendidos pela Acic, especialmente num momento em que é cada vez mais crescente a falta de mão de obra qualificada, assim como a preocupação com a queda do número de alunos que migram do Ensino Fundamental para o Médio”, destaca o presidente da Acic, Valcir José Zanette.

 

Foco na educação profissional

Nascida por iniciativa da indústria carbonífera, a Satc completa 64 anos em 2023. Sem fins lucrativos, tem toda a receita gerada reinvestida na própria instituição. “O setor carbonífero ainda aporta um valor significativo, que permite manter cursos técnicos gratuitos para todos os alunos do Ensino Médio”, frisa Carlos Antônio Ferreira.

Com uma formação que vai da educação infantil à pós-graduação, a Satc conta com Mestrado em Metalurgia e aguarda a aprovação de mais três programas. “Somos uma instituição de formação profissional. Mesmo a nossa pós-graduação não é acadêmica. Nossos alunos trabalham na indústria e resolvem problemas dessa indústria dentro do programa de pós-graduação”, explica o reitor do UniSatc.

Estabelecida em um espaço de 550 mil metros quadrados, a estrutura possui cerca de 40 mil metros quadrados de área construída, abrigando 60 laboratórios de ensino e 85 salas de aula.

 No Colégio Satc, 3,3 mil alunos estão matriculados; os cursos técnicos, 14 presenciais e quatro a distância, reúnem aproximadamente 1,1 mil estudantes, enquanto o UniSatc contabiliza 1,4 mil alunos, em 11 cursos de graduação, nas áreas de Engenharia, Comunicação e Negócios, pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e mestrado em Engenharia Metalúrgica. Considerando a Educação Básica e o Ensino Superior, 2,2 mil alunos são contemplados com algum benefício em bolsas de estudo.

 Prestação de serviços

Outro viés da Satc é a prestação de serviços, por meio da educação corporativa, plataformas de inovação, consultorias e laboratórios. Na educação corporativa, são oferecidos produção de conteúdo digital, treinamentos on-line, cursos livres sob demanda e atendimento in company.

As plataformas de inovação englobam o Cocreation, projeto de formação para o empreendedorismo desenvolvido pela UFSC; o Colearning, onde há 23 startups; e o Cobusiness, no qual 365 ideias foram geradas, 35 oportunidades selecionadas e 21 concluídas no ano passado.

Já as consultorias e laboratórios disponibilizam serviços em diferentes áreas, além de apoiar os projetos de pesquisa. “Nós temos o Centro Tecnológico, que hoje é superavitário e contribui para manter a instituição”, salienta Ferreira.

Cidade do Conhecimento

Junto com uma empresa israelense e nove apoiadores locais, a Satc desenvolve ainda o Projeto da Cidade do Conhecimento. “A ideia é criar um distrito de inovação, onde as pessoas possam morar, trabalhar, empreender e se divertir, tudo na mesma região. É um ambiente muito propício para gerar novos negócios”, resume.

“A Satc desenvolve um grande trabalho. É uma instituição referência no ensino, especialmente voltado para a área profissionalizante. Também se destaca nos projetos voltados para a inovação e à tecnologia, contribuindo fortemente para o desenvolvimento da nossa região”, reforça o presidente da Acic.