Com apoio da Facisc, AEA apresenta proposta de ligação asfáltica entre Agrolândia e Otacílio Costa para secretário de infraestrutura




Uma comitiva composta pelo presidente da Associação Empresarial de Agrolândia (AEA), Jardel Eduardo Will, o prefeito de Agrolândia, José Constante, o vice Adilson Sivers e a executiva, Taís Rosa, apresentou ao presidente da Facisc nesta quarta (03/11) um estudo para uma proposta de ligação asfáltica entre os municípios de Agrolândia e Otacílio Costa.

“É um pleito legítimo, oportuno e que vai a contribuir para desafogar o trânsito na BR-470. Além disso, facilitará o transporte de urgências, como ambulâncias. Faz parte do papel da Facisc atuar em prol do desenvolvimento de ideias que contribuam para o desenvolvimento das regiões catarinenses”, destacou o presidente da Faicsc, Sérgio Rodrigues Alves.

Segundo os representantes, o projeto é de grande interesse para a região pois contribuiria para o escoamento de máquinas de grande porte que hoje só podem ser transportadas pela BR 470, causando congestionamentos com transporte acima da capacidade da via.

“Como empresário e presidente da Associação Empresarial de Agrolândia, fico muito feliz em poder contribuir com este grande passo rumo ao desenvolvimento da região. Sabemos de todos os processos burocráticos, mas seremos firmes e faremos as articulações necessárias para que estes pleitos se tornem uma realidade, pois trarão benefícios para nossa região”, declarou o presidente Jardel Will.

Após o encontro com o presidente, os representantes acompanhados do vice-presidente da Facisc para a regional Grande Florianópolis, Odílio Guarezi, se reuniram com o secretário de infraestrutura e mobilidade do estado, Thiago Vieira, onde apresentaram o estudo e os argumentos para que o projeto seja avaliado pelo governo. “Certamente este investimento traria grandes benefícios para toda a região, pois fortalece os setores que precisam escoar produtos para fora dos municípios”, declarou o vice regional, Odílio Guarezi.

De acordo com o secretário o projeto será feito tanto a avaliação financeira para verificação da disponibilidade de investimentos, quanto o retorno que a obra traria para a sociedade e a classe produtiva.