AEMFLO e CDL-SJ questionam “passaporte de vacina”




A Associação Empresarial da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Aemflo) e a Câmara de Dirigentes Lojistas de São José (CDL-SJ) vem a público manifestar o seu posicionamento a respeito do Passaporte da Vacina anunciado pelo Prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM) na última segunda-feira (23) que pretende exigir comprovante de vacinação contra a Covid-19 para quem frequentar bares, hotéis e eventos. A medida deverá abranger atividades e espaços de grande circulação de pessoas. As entidades incentivam os associados a buscarem a vacinação para si, seus colaboradores e familiares, e acreditam que o incentivo é a melhor solução. Contudo, a AEMFLO e CDL-SJ acreditam que a melhor maneira de promover a imunização é incentivar através de campanhas e não com a exigência de comprovação por parte das empresas. As entidades repudiam que mais uma vez as empresas sejam penalizadas ao terem que exigir dos seus clientes a confirmação que já tomaram a vacina. “As empresas já muito afetadas com todos os efeitos da pandemia precisam exercer o seu papel que é gerar emprego e renda. Não cabe às empresas fiscalizar se seus clientes tomaram ou não a vacina, e sim ao poder público. Muito já temos feito, inclusive, com a promoção de descontos e benefícios aos vacinados”, explica o presidente José Marciel Neis. Além disso, a AEMFLO e o CDL-SJ subscrevem a manifestação do Fórum de Turismo da Grande Florianópolis – FORTUR, que pede outras providências em relação às empresas do setor conforme o ofício em anexo.

A determinação a princípio começa a valer depois que a imunização alcançar todas as idades. O governo de Santa Catarina espera aplicar ao menos a primeira dose nos moradores maiores de 18 anos até o fim de agosto.